Trans Verso



BRASIL, Mulher, Portuguese, Cinema e vídeo, Arte e cultura, Livros, Viagem, Praia, Cachoeira, Trilha
MSN - mpoesia@hotmail.com
border=0
 
   Arquivos

     
    border=0
    Outros sites

     PERSONARE
     CLIMATEMPO
     SENTIDO
     GULODICE
     FABIANA BORGIA
     Veja o Mapa Astral do Dia
     UOL - O melhor conteúdo
     Elaine Bertone
    meu facebook
     Nany Pet Sitter - A babá do seu pet


    Votação
    Dê uma nota para meu blog



    border=0
     


    O ATO DE ELEGER

    O ATO DE ELEGER

    Por  Elaine Bertone

     


    A vida é feita de escolhas. Elegemos os nossos amigos, nossos esportes favoritos, nosso repertório musical, o estilo de roupa, nossos valores, os candidatos políticos, os lugares que apreciamos estar ... Vamos, assim, alinhavando através dessas escolhas, a nossa própria imagem. Cada escolha que fazemos, representa um pedacinho de pano, que somado a outros vai resultar na colcha que somos. E se somos autênticos nessas escolhas, teremos pessoas muito semelhantes à nossa volta. Porque essa é a lei da atração – atraímos as pessoas que são nossos pares, que têm os mesmos ideais, convicções e interesses semelhantes. Dificilmente, escolhemos como amigo, uma pessoa que tenha valores tão diversos dos nossos. E mesmo que isso ocorra, no momento em que fazemos essa constatação, certamente algo novo acontece, ou seja, a magia se acaba e a distância se estabelece.
    Quando uma pessoa não é verdadeira consigo mesma e adota valores ou posturas por simples conveniência; num dado momento, ela vai esquecer o seu “script” e revelar a sua própria identidade: isso é infalível! 
    Você jamais se esquece de quem é ! As máscaras sociais, muitas vezes usadas como defesa, acabam caindo inevitavelmente... Já a nossa essência jamais desaparece. Ela tem a ver com a nossa alma, nossa energia mais pura, por isso é ímpar, singular. 
    Eleger é fundamental, mas para isso devemos nos conhecer intimamente. Só quem se conhece, faz as escolhas certas e foge do estigma de ser “maria vai com as outras”. O senso comum tem a sua importância, sim, mas nem sempre nos acomodamos nele.
    Saber posicionar-se é tomar partido e isso é um exercício diário – é o que molda a nossa personalidade. Eleger é tornar autêntica e legítima nossa vontade, nossa opinião e visão de mundo. É antes de tudo um direito e quem abre mão dele, corre o risco de perder a si mesmo. 

    06.11.2011




    Escrito por Elaine Bertone às 15h32
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






    [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
    border=0